O que é estomia?

Um estoma é uma abertura criada cirurgicamente no corpo. Nestes artigos, vamos falar sobre estomias no abdome, que permitem que as fezes ou a urina sejam eliminadas.

  • A colostomia é formada a partir do intestino grosso
  • Ileostomia é formada a partir do intestino delgado
  • A urostomia desvia a urina dos rins através de uma seção do intestino

Informações iniciais

Sistemas digestório e urinário

Sistemas digestório e urinário

Compreender como funciona o sistema digestório e urinário ajudará você a entender como sua estomia funcionará. Leia mais

Quando você come, a comida viaja por um tubo longo e estreito (esôfago) até o estômago. Lá, a comida é agitada em pedaços menores e seus sucos digestórios a transformam em líquido.

A jornada continua à medida que o conteúdo do estômago se move para o intestino delgado (íleo), onde a digestão termina. Seu corpo absorve os nutrientes necessários para energia, crescimento e construção de novas células e os canaliza para a corrente sanguínea.

Quando toda a nutrição é absorvida, os restos se movem para o intestino grosso (cólon), onde seu corpo absorve líquido para tornar os resíduos mais sólidos. Os músculos da parede do cólon empurram qualquer resíduo para a frente no reto, onde ele é excretado do corpo pelo ânus, com a ajuda dos músculos do esfíncter, na forma de fezes.

Como uma colostomia ou ileostomia afetará o sistema digestório?

Quando uma colostomia ou ileostomia é formada em seu abdômen, ela altera a maneira usual de ir ao banheiro para expelir as fezes. Em vez de sair pelo ânus, suas fezes sairão pela estomia. A passagem das fezes é geralmente controlada por um músculo no ânus.

No entanto, a principal diferença quando você tem uma estomia é que você não é mais capaz de reter ou ter controle sobre quando precisa expelir as fezes. Você também não tem controle sobre quando solta gases (flatulência).

Urostomia e como ela afeta o sistema urinário

A urina é produzida pelos rins e desce através de dois tubos (os ureteres) até a bexiga. A urina é produzida o tempo todo, mas é armazenada na bexiga até você sentir que precisa urinar. A urina então sai do seu corpo através da uretra.

Quando uma urostomia é feita, ela altera a maneira usual de você expelir a urina. É feita uma passagem para a urina passar dos rins para a parte externa do abdome, terminando em um pequeno bico. Isso é chamado de estomia. Em vez de sair pela uretra, sua urina sairá pela estomia.

A passagem da urina é geralmente controlada por um músculo especial na uretra. No entanto, a principal diferença quando você tem uma estomia é que você não é mais capaz de reter ou ter controle sobre quando precisa expelir a urina. 

Fechar
O que pode causar uma cirurgia de estomia?

O que pode causar uma cirurgia de estomia?

Uma estomia é normalmente o resultado de uma cirurgia para remover uma doença, uma obstrução intestinal ou lesão no sistema digestório ou urinário. Leia mais

Uma estomia é normalmente o resultado de uma cirurgia para remover uma doença, uma obstrução intestinal ou lesão no sistema digestório ou urinário.

Existem algumas condições médicas que podem causar a cirurgia de estomia. Ela pode ser o resultado de uma cirurgia para remover doenças como câncer, doença de Crohn ou diverticulite, mas também pode ser causada por obstrução intestinal, incontinência urinária ou fecal, e lesões no sistema digestório ou urinário.

O que pode causar urostomia?

A causa mais comum de urostomia é a remoção da bexiga, relacionada ao câncer. A urostomia também pode ser causada por danos acidentais, doença renal grave, incontinência urinária ou complicações cirúrgicas devido à cirurgia pélvica ou abdominal.

O que pode causar ileostomia?

Uma ileostomia é necessária quando o intestino grosso está danificado, ou se foi removido devido a câncer ou lesão. Outras causas para ileostomia incluem doença de Crohn, diverticulite, colite ulcerativa e tumores que causam bloqueio do intestino. Uma ileostomia temporária pode ser aplicada se o intestino precisar se recuperar após uma cirurgia.

O que pode causar colostomia?

Quando uma doença (por exemplo, câncer) faz com que parte intestino grosso (cólon) seja removida, é necessária uma colostomia. Outras causas podem incluir doença de Crohn, lesão ou incontinência fecal. Uma colostomia temporária pode ser aplicada se o intestino grosso precisar se recuperar após uma cirurgia.

Fechar
Por que preciso usar uma bolsa de estomia?

Por que preciso usar uma bolsa de estomia?

Uma bolsa de estomia é necessária para coletar de forma segura e conveniente os efluentes da sua estomia. Leia mais

Não importa que tipo de estomia você tenha, todos os efluentes (fezes ou urina) devem ser coletados de maneira segura e conveniente. É aí que entra a sua bolsa de estomia. Elas foram desenvolvidas para aderir à pele do abdome ao redor do estoma e coletar os efluentes.

O design da bolsa de estomia depende se você tem uma colostomia, ileostomia ou urostomia. Seu enfermeiro ou profissional de saúde mostrará qual é o melhor para você, mas a grande maioria das bolsas é segura e discreta. Ninguém saberá que você está usando uma, a menos que você decida contar.

Bolsa de estomia para urostomia

Após uma operação de urostomia, a urina sai pelo estoma em vez de sair pela uretra. Ao contrário da bexiga, a estomia não tem músculo para controlar a liberação de urina. Por isso, é necessário usar um dispositivo.

Bolsa de estomia para ileostomia ou colostomia

Após uma operação de ileostomia ou colostomia, as fezes saem pelo estoma, em vez de saírem pelo ânus. Ao contrário do ânus, a estomia não tem músculo para controlar a liberação de fezes ou gases. Por isso, é necessário usar um dispositivo.

Fechar
O que é uma colostomia?

O que é uma colostomia?

Se, por algum motivo, seu reto ou uma parte inferior do seu cólon tiver sido removida ou se precisar ser poupada por um período, você precisará de uma abertura artificial do intestino grosso (uma estomia) para a passagem das fezes. Isso é chamado de colostomia. Leia mais

Em uma cirurgia de colostomia, parte do cólon (intestino grosso) é trazida para a superfície do abdome para formar o estoma. Uma colostomia geralmente é criada no lado esquerdo do abdome e pode ser temporária ou permanente, dependendo do motivo da cirurgia ou da condição médica.

As fezes nessa parte do intestino são sólidas e, como uma estomia não tem músculo para controlar a defecação, as fezes precisarão ser coletadas usando uma bolsa de colostomia.

O que é colostomia terminal?

O tipo mais comum de colostomia é uma colostomia terminal, em que o final do intestino grosso (cólon) é destacado através de um pequeno corte na parede abdominal e, em seguida, costurado na pele, criando uma abertura (estomia).

Uma colostomia terminal pode ser permanente ou temporária

A solução temporária é relevante em situações em que a parte doente do intestino foi removida ou precisa ser poupada antes que as extremidades sejam unidas.

A solução permanente é escolhida em situações em que é muito arriscado ou impossível reintegrar as duas partes do intestino.

O que é colostomia em alça?

Nesse tipo, uma alça do intestino é destacada acima do nível da pele. Um corte pela metade é então feito na alça do intestino exposto, formando duas aberturas, que são roladas para baixo e costuradas na pele.

A colostomia em alça é normalmente uma medida temporária realizada em situações agudas. Ela também pode ser realizada para proteger uma junção cirúrgica no intestino.

Fechar
O que é uma ileostomia?

O que é uma ileostomia?

Se, por algum motivo, seu intestino tiver sido removido ou se precisar ser poupado por um período, você precisará de uma abertura artificial do intestino delgado (uma estomia) para a passagem das fezes. Isso é chamado de ileostomia. Leia mais

Em uma operação de ileostomia, uma parte do intestino delgado (íleo) é trazida para a superfície do abdome, para formar um estoma. Geralmente, ela é realizada nos casos em que o intestino está doente, e normalmente fica do lado direito e na lateral do abdome.

Uma ileostomia pode ser temporária ou permanente, dependendo do motivo da cirurgia ou da condição médica.

As fezes nessa parte do intestino são geralmente líquidas e, como uma estomia não tem músculo para controlar a defecação, as fezes precisarão ser coletadas em uma bolsa.

O que é ileostomia terminal?

A ileostomia mais comum é uma ileostomia terminal, em que o final do intestino delgado (íleo) é destacado através de um pequeno corte na parede abdominal e, em seguida, costurado na pele, criando uma abertura (estoma).

Uma ileostomia terminal pode ser permanente ou temporária

A solução temporária é relevante em situações em que a parte doente do intestino foi removida, e a parte restante precisa ser poupada antes que as extremidades sejam unidas.

A solução permanente é escolhida em situações em que é muito arriscado ou impossível reintegrar as duas partes do intestino.

O que é ileostomia em alça?

Em uma ileostomia em alça, uma alça do intestino delgado é destacada acima do nível da pele. Um corte pela metade é então feito na alça do intestino exposto, formando duas aberturas, que são roladas para baixo e costuradas na pele.

A ileostomia em alça é normalmente temporária, e realizada para proteger uma articulação cirúrgica no intestino ou para aliviar sintomas. Se ela for temporária, será fechada ou revertida em uma cirurgia posterior.

Fechar
O que é uma urostomia?

O que é uma urostomia?

Se você não conseguir urinar naturalmente, uma solução possível é criar uma abertura alternativa em seu corpo para que a urina seja desviada. Isso é chamado de urostomia. Leia mais

Você sabe como funciona o sistema urinário? Compreender como a urina é produzida e transportada pelo corpo ajudará você a entender o que está envolvido em uma urostomia.

Anatomia do sistema urinário

O sistema urinário consiste em rins, ureteres, bexiga e uretra, que têm funções diferentes, e muito importantes:

  • Rins: dois órgãos que filtram resíduos e impurezas do sangue e produzem a urina
  • Ureteres: dois tubos finos que transportam a urina do rim para a bexiga
  • Bexiga: órgão muscular oco que coleta e armazena a urina produzida pelos rins, até ser excretada pela uretra
  • Uretra: o canal que transporta a urina da bexiga para fora do corpo
  • Esfíncter: um músculo que controla a abertura da bexiga na uretra

Uma vez que a urina é produzida pelos rins, ela viaja pelos ureteres até a bexiga, onde é armazenada e depois liberada do corpo pela uretra. Quando o reflexo da micção ocorre, o músculo da bexiga se contrai e os esfíncteres relaxam, permitindo que a urina flua para fora do corpo. Se ocorrer um problema na bexiga, será necessário criar um novo sistema para permitir que a urina seja expelida do corpo.

O que é uma urostomia?

Urostomia é um termo genérico que descreve um procedimento cirúrgico que desvia a urina de uma bexiga com algum problema para uma seção do intestino delgado. Essa cirurgia traz uma parte isolada do intestino - em torno de um pedaço de quinze a vinte centímetros do intestino delgado - para a superfície do abdome, no lado direito. Essa parte isolada do intestino é então trazida através de uma abertura criada cirurgicamente, chamada estomia. Os ureteres são destacados da bexiga e recolocados na seção isolada do intestino, de modo que a urina é expelida do corpo através da estomia.

Após a criação da urostomia, você não poderá mais controlar o fluxo de urina. Como uma urostomia não possui um músculo esfincteriano para proporcionar uma vedação firme ao redor da bexiga quando fechada, você não tem controle voluntário sobre quando urinar. Portanto, a urina geralmente drena constantemente para o exterior e cai na bolsa fixada ao abdome. Portanto, uma bolsa deve ser usada o tempo todo para coletar sua urina.

O que esperar

Como deve ser sua estomia? E qual é a sensação? É importante saber o que esperar da sua urostomia. Uma estomia saudável é úmida e de cor vermelha ou rosa. A estomia não possui terminações nervosas, portanto não doerá quando for tocada. A estomia pode ficar grande e inchada após a cirurgia, no entanto, ela diminuirá para um tamanho menor dentro de algumas semanas - isso é completamente normal.

Sua estomia provavelmente estará cerca de 2,5 cm acima do nível do abdome. É aqui que a urina é drenada do seu corpo.

Fechar
Quando a estomia começará a funcionar?

Quando a estomia começará a funcionar?

Sua estomia começará a funcionar imediatamente ou em alguns dias, dependendo de você ter uma urostomia, ileostomia ou colostomia. Leia mais

Urostomia

Sua estomia começará a funcionar imediatamente após a operação de urostomia. Os tubos que serão colocados na urostomia serão deixados até que tudo funcione normalmente, provavelmente de sete a dez dias.

Sua urina pode ficar bem vermelha no começo, mas não se assuste - ela voltará à sua cor habitual em breve. Provavelmente, também haverá muco da estomia na urina; isso é simplesmente parte do "revestimento" do intestino, e não é nada para se preocupar.

Ileostomia ou colostomia

Dentro de alguns dias, sua estomia começará a funcionar. Em princípio, as fezes serão bastante aquosas, e poderá haver cheiros fortes e alguns gases barulhentos, porque seu intestino ficou inativo por um tempo. Isso vai se resolver quando você se levantar e começar a ingerir uma dieta mais equilibrada.

No começo, você pode sentir necessidade de ir ao banheiro como antes - mas o desejo desaparecerá com o tempo. Se seu ânus ainda estiver presente, pode haver saída de secreção de muco.

Fechar
Como envolver a família e os amigos

Como envolver a família e os amigos

Deixar as pessoas que se importam com você por dentro e permitir que elas o ajudem provavelmente facilitará as coisas. Leia mais

Uma preocupação comum com uma estomia é que as pessoas se destacam em relação ao ambiente, levando alguns a manter a estomia em segredo - ou pelo menos como um tabu.

No entanto, isolar-se com preocupações e pensamentos preocupantes pode ser bastante prejudicial. Tentar expressar seus sentimentos - positivos e negativos - em palavras, por mais difícil que seja, contribui para normalizar a situação.

Ao deixar as pessoas que se importam com você por dentro e permitir que elas o ajudem, você provavelmente facilitará muito as coisas para si mesmo, e a maioria das pessoas ficará feliz em ajudá-lo e se sentirá privilegiada em ser incluída.

Uma atenção temporária

Lembre-se de que, provavelmente, por um curto período, em termos gerais, você precisará dessa atenção especial. Antes que você perceba, você poderá incorporar suas rotinas completamente ao seu dia a dia e, o mais importante, voltará a fazer tudo o que fazia antes da cirurgia.

As pessoas próximas a você podem nunca ter uma segunda chance para apoiá-lo dessa maneira - portanto, nunca se sinta mal por deixá-las.

Lembre-se: também é novidade para eles

Ninguém ensina como agir perto de alguém com estomia; portanto, tente reconhecer que também é uma situação difícil para seus amigos e familiares.

Eles estão procurando maneiras de ajudá-lo, mas provavelmente estão lutando para descobrir onde estão os limites, quantas perguntas eles estão "autorizados" a fazer - e como.

Converse com outras pessoas que compartilham sua experiência

Embora muitos encontrem conforto ao conversar com a família ou amigos próximos, também pode ser tremendamente útil conversar com alguém com experiências semelhantes sobre a vida com uma estomia. Pergunte ao seu enfermeiro de cuidados com a estomia se é possível colocá-lo em contato com outras pessoas na sua situação, e procure grupos e comunidades nas redes sociais.
Fechar
Glossário

Glossário

Uma pequena lista de termos e definições relacionados a sua estomia. Leia mais

Bolsa de colostomia

Um aparelho conectado à sua estomia, que coleta resíduos do cólon. A bolsa pode ser um sistema de uma peça ou duas peças.

Bolsa de ileostomia
Um aparelho conectado à sua estomia, que coleta resíduos do íleo. A bolsa pode ser um sistema de uma peça ou duas peças.

Bolsa de urostomia
Um aparelho conectado à estomia, que coleta a urina. A bolsa possui uma válvula, que permite esvaziar a urina de maneira fácil e discreta. A bolsa pode ser um sistema de uma peça ou duas peças.

Cólon

A última parte do sistema digestivo, também conhecida como intestino grosso.

Colostomia

Uma operação que envolve trazer uma parte do cólon para a superfície do abdome para formar a estomia.

Estoma
Veja 'Estomia' abaixo.

Estomia
Uma estomia (estoma) é uma abertura criada cirurgicamente no corpo, que permite que as fezes ou a urina do intestino ou do trato urinário passem. Existem três tipos de estomias: colostomia, ileostomia e urostomia.

Filtro

Uma abertura em sua bolsa com um filtro de carvão que subtrai o odor do gás, antes que ele saia da bolsa.

Íleo
A parte final do intestino delgado.
Ileostomia

Uma operação que envolve trazer uma parte do intestino delgado, chamada íleo, para a superfície do abdome para formar a estomia.

Sistema de duas peças

Um sistema de duas peças consiste em dois componentes: uma base adesiva e uma bolsa descartável, que é fixada à pele pela base adesiva, e tem um sistema de acoplamento mecânico entre a base e a bolsa.

Sistema de peça única

Uma bolsa multifuncional fixada à pele por uma base adesivo. Todo o aparelho é descartado após o uso.

Ureteres e Uretra
Os ureteres são os tubos através dos quais a urina vai dos rins para a bexiga. A urina então é eliminada do corpo através da uretra.

Urostomia
Uma operação que envolve a substituição da função da bexiga, desviando a urina para uma seção do intestino delgado. O final do intestino é então retirado através de um pequeno corte na parede abdominal e costurado na pele do abdome, criando uma abertura (estomia).

Fechar

Crianças e estomia

Como funciona o sistema digestório?

Como funciona o sistema digestório?

Conhecer o sistema digestório é essencial para entender o que acontece após a operação de estomia e os cuidados especiais necessários. Leia mais

Além de aprender a entender a condição médica, é bom saber o que acontece com a ingestão de alimentos. Conhecer um pouco melhor o sistema digestório ajudará você a entender o que está envolvido na operação e os cuidados especiais necessários.

O sistema digestório, ou tubo digestório, é um sistema complexo que começa na boca, onde o alimento é mastigado, e termina no ânus, por onde os resíduos saem. Quando o alimento é ingerido, ele passa através de um tubo longo e estreito (esôfago) para o estômago. Ao longo do caminho, o estômago, intestino delgado, pâncreas, fígado, vesícula biliar, intestino grosso (cólon) e reto trabalham juntos para processar os alimentos e transformá-los nos nutrientes de que todas as células do corpo precisam para funcionar corretamente.

Quando o alimento chega ao estômago, os sucos digestórios ajudam a decompô-lo antes de passar para o intestino delgado. Os nutrientes necessários para o organismo são absorvidos no intestino delgado, é por isso que ele é tão importante. Mais tarde, o alimento digerido passa para o intestino grosso (cólon), onde a água é absorvida e as fezes começam a se formar. As fezes que saem da estomia podem variar de líquidas a uma consistência pastosa e espessa. Dependendo da parte no intestino em que a estomia foi criada (começo, meio, fim), é determinado quanta água é absorvida das fezes e quão finas ou espessas elas serão. Quanto mais as fezes percorrerem o intestino delgado, mais água será absorvida e mais espessas elas ficarão.

As fezes são armazenadas no reto e, normalmente, deixam o corpo através do ânus. Com uma estomia, as fezes passam agora da estomia para fora do corpo.

Fechar
Os primeiros dias após a cirurgia

Os primeiros dias após a cirurgia

Pode ser difícil ver seu filho ser submetido a uma cirurgia de estomia, embora possa ser um procedimento que salve a vida dele. Você provavelmente tem muitas perguntas e preocupações. Saiba o que esperar. Leia mais

Como mãe/pai de uma criança com estomia, entendemos que podem surgir medos e ansiedades sobre o que esperar e como cuidar de seu filho após a cirurgia. Anime-se em saber que isso é normal. No entanto, com apoio, paciência e um pouco de prática, em breve você se sentirá mais à vontade para cuidar das necessidades de estomia do seu filho.

Antes da alta, pode ser uma boa ideia observar o procedimento de troca de bolsa, limpeza da estomia e da área periestomal, e compreender todos os medicamentos que seu filho precisa tomar. Isso pode facilitar a transição para casa.

Acordando após a cirurgia

Após a cirurgia, seu filho pode estar usando uma bolsa de estomia. A bolsa pode ser transparente para que médicos e enfermeiros possam observar a nova estomia do seu filho. Às vezes, até que a estomia comece a funcionar, ela será coberta apenas por um pedaço de gaze. Quando a estomia começar a excretar, uma bolsa será aplicada para coletar as fezes, ventilar e filtrar os gases.

Durante os primeiros dias, seu filho receberá apenas líquidos para beber. Os alimentos serão adicionados lentamente à dieta quando a função intestinal voltar ao normal. Para bebês que se alimentam com leite materno ou fórmula, as fezes podem ser aquosas e de cor amarelo-claro.

Verifique se seu filho está confortável

Após a cirurgia, quando seu filho sente algum desconforto, pode ser prescrito um medicamento para ajuda-lo a se sentir mais confortável. Se seu filho sentir desconforto, lembre-se de avisar o enfermeiro para que os medicamentos possam ser administrados. Seu filho não ficará tão assustado se o desconforto for minimizado. Estar confortável permite que seu filho se movimente e faça atividades pós-cirúrgicas que aceleram o processo de cicatrização.

Fechar
Indo para casa depois da cirurgia de estomia

Indo para casa depois da cirurgia de estomia

Levar seu filho para casa após a cirurgia é um momento emocionante e apreensivo, com muitas perguntas e preocupações. As informações a seguir foram projetadas para ajudar com uma transição suave. Leia mais

Geralmente, os adultos com estomia levam muitos meses para se sentirem totalmente à vontade com as mudanças no corpo. Dependendo da idade, personalidade e capacidade de adaptação, a mesma coisa pode ser verdade para o seu filho - e para você também. Em alguns casos, você e seu filho podem precisar se adaptar às mudanças e exercitar a paciência, até que viver com uma estomia se torne parte natural da rotina diária. Tenha coragem em saber que em breve você se sentirá mais confortável nessa nova situação.

Pode ser difícil lembrar tudo o que você aprendeu no hospital e é provável que você tenha várias perguntas. Reunimos as informações a seguir para ajudar a garantir que sua transição seja a mais suave possível.

Antes de deixar o hospital

Antes de deixar o hospital, seu enfermeiro de cuidados com a estomia ou seu enfermeiro pediátrico fornecerá informações sobre como obter produtos para a estomia, juntamente com a documentação escrita do seu médico.

Lista de verificação de suprimentos para os pais

Ter os suprimentos de estomia certos no lugar é essencial. Abaixo, reunimos uma lista de dispositivos importantes para garantir que você tenha o básico:

  • Bolsas e bases adesivas
  • Guia de medição da estomia LINK
  • Caneta/marcador
  • Tesoura
  • Lenços macios
  • Saco de lixo plástico
  • Acessórios:
    • Anel moldável
    • Pasta em tira
    • Pó para estomia
    • Cinto ou fita adesiva
    • Desodorante para bolsa
    • Removedor de adesivo

Lembre-se de encomendar novamente as bolsas ao abrir a última caixa, para não ficar sem produtos. Volte a medir a estomia antes de fazer o pedido para garantir que os produtos de estomia do seu filho ainda são adequados.

Armazene seus suprimentos em um local fresco e escuro. Não armazene os suprimentos no banheiro nem os carregue no porta-malas do carro, pois umidade e calor podem danificar o adesivo do produto.

Dicas para a troca

Bebês: mantenha todos os produtos necessários para uma troca completa. Prepare uma bolsa de fraldas, incluindo os suprimentos de estomia.

Pré-escola e idade escolar: mantenha produtos, roupas e instruções escritas adicionais no berçário, na escola, nos avós e nos lugares que você visita com frequência.

Fechar
Meu filho tem uma colostomia

Meu filho tem uma colostomia

Seu filho tem uma colostomia? Ajudamos você a entender o que é uma colostomia e como ela muda as funções corporais do seu filho, para que você possa se sentir confortável cuidando dele. Leia mais

Se seu filho tem uma abertura criada cirurgicamente entre o intestino grosso (cólon) e a parede abdominal, isso é chamado de colostomia. O cirurgião, enfermeiro de cuidados com a estomia ou enfermeiro pediátrico pode ajudá-lo a entender o motivo da cirurgia de colostomia do seu filho.

Durante uma cirurgia de colostomia, o final do intestino grosso é trazido para a superfície abdominal do seu filho - isso é chamado de colostomia, e agora será o ponto de saída para as fezes do seu filho.

Como mãe/pai, você desempenha um papel importante em garantir que a colostomia seja bem mantida para assegurar a cicatrização adequada. Os tópicos a seguir são importantes para fornecer o melhor cuidado ao seu filho.

O que é um sistema de bolsa?

Como não há músculos ao redor da estomia, seu filho não poderá controlar quando as fezes passam por lá e, portanto, precisará usar uma bolsa de fora do corpo o tempo todo para coletar resíduos. A bolsa é mantida no corpo com um adesivo em sua base. A base tem um buraco no meio, grande o suficiente para a estomia. Ela é também chamada de "barreira da pele", pois não apenas segura a bolsa no corpo, mas também protege a pele ao redor da estomia para que as fezes não encostem na pele.

Colostomia temporária ou permanente?

Dependendo da condição específica do seu filho, a colostomia pode ser temporária ou permanente. Quando a estomia é temporária, ela é criada como uma medida para permitir ao intestino a chance de descansar e cicatrizar após a cirurgia. Nesse caso, o intestino grosso será reconectado, e a estomia, fechada. Quando a estomia do seu filho é permanente, o intestino grosso não é reconectado.

Espere mudanças nas fezes do seu filho

Uma colostomia geralmente começa a funcionar cerca de 3 a 4 dias após a cirurgia. As primeiras fezes do seu filho serão de natureza um pouco líquida. No entanto, nas próximas semanas, as fezes podem engrossar para uma composição macia. Dependendo de onde no intestino a colostomia é criada (começo, meio, fim), ela determinará a quantidade de água absorvida das fezes e a sua espessura. Quanto mais as fezes percorrerem o intestino grosso, mais água será absorvida e mais espessas elas ficarão. Mesmo com uma colostomia, seu filho ainda pode ter seu reto no lugar e sentir a necessidade de evacuar. Essa sensação ocorre porque o intestino continua a produzir muco, que pode passar pelo reto. Caso isso aconteça, é importante lembrar que é completamente normal.

Cuidado com a irritação da pele

A pele ao redor da estomia é chamada de pele periestomal. É de grande importância manter uma pele saudável nessa área. Como mãe/pai, você deve garantir que essa área seja mantida sem irritação, erupções cutâneas ou vermelhidão. Isso dará mais conforto ao seu filho e garantirá que o sistema de bolsa também se fixe melhor à pele. No entanto, pode ocorrer irritação e, nesse caso, os cuidados adequados devem devolver boa saúde à pele do seu filho.

Fechar
Meu filho tem uma ileostomia

Meu filho tem uma ileostomia

Seu filho tem uma ileostomia? Nós fornecemos as informações necessárias para você entender as alterações nas funções corporais e ajudá-lo a se adaptar a uma nova situação. Leia mais

“Estomia” é um termo genérico para descrever um procedimento em que uma abertura é criada no corpo. Quando seu filho é submetido a uma cirurgia de estomia, é criada uma abertura na parede abdominal. A parte real do intestino é trazida para a superfície abdominal do seu filho, permitindo que as fezes saiam do corpo.

Uma ileostomia é a cirurgia de estomia que envolve o intestino delgado. Durante uma cirurgia de ileostomia, o final do intestino delgado é trazido para a superfície abdominal, e agora será o ponto de saída para as fezes.

Como mãe/pai, você desempenha um papel importante em garantir que a ileostomia seja bem mantida para assegurar a cicatrização adequada. Os tópicos a seguir são importantes para fornecer o melhor cuidado ao seu filho.

O que é um sistema de bolsa?

Como não há músculos ao redor da estomia, seu filho não poderá controlar quando as fezes passam por lá e, portanto, precisará usar uma bolsa de fora do corpo o tempo todo para coletar resíduos. A bolsa é mantida no corpo com um adesivo em sua base. A base tem um buraco no meio, grande o suficiente para a estomia. Ela é também chamada de "barreira da pele", pois não apenas segura a bolsa no corpo, mas também protege a pele ao redor da estomia para que as fezes não encostem na pele.

Ileostomia temporária ou permanente?

Dependendo da condição específica do seu filho, a ileostomia pode ser temporária ou permanente. Quando a ileostomia é temporária, ela é criada para permitir que o intestino descanse e cicatrize após a cirurgia. Nesse caso, o intestino será reconectado, e a estomia, fechada. Quando a ileostomia do seu filho é permanente, o intestino não é reconectado.

Espere mudanças nas fezes do seu filho

Uma ileostomia geralmente começa a funcionar cerca de 2 a 3 dias após a cirurgia. As primeiras fezes do seu filho serão principalmente amarelas ou verdes, e de natureza um pouco líquida. Também é provável que haja uma grande quantidade de gases. Se o seu filho for amamentado ou mamar na mamadeira, as fezes permanecerão um pouco moles. Se o seu filho for mais velho ou começar a ingerir alimentos mais sólidos, as fezes ficarão entre líquidas e moles, e terão uma cor marrom-média. A mudança de cor ocorre porque menos água está sendo absorvida das fezes em comparação com quando o intestino inteiro do seu filho estava em utilização. A espessura e a frequência das fezes serão afetadas pela localização da ileostomia no intestino delgado.

Mesmo com uma ileostomia, seu filho ainda pode ter o reto no lugar e sentir a necessidade de evacuar. Essa sensação ocorre porque o intestino continua a produzir muco, que pode passar pelo reto. Caso isso aconteça, é importante lembrar que é completamente normal.

Cuidado com a irritação da pele

A pele ao redor da estomia é chamada de pele periestomal. É de grande importância manter uma pele saudável nessa área. Como mãe/pai, você deve garantir que essa área seja mantida sem irritação, erupções cutâneas ou vermelhidão. Isso dará mais conforto ao seu filho e garantirá que o sistema de bolsa também se fixe melhor à pele. No entanto, pode ocorrer irritação e, nesse caso, os cuidados adequados devem devolver boa saúde à pele do seu filho.

Fechar
Meu filho tem uma urostomia

Meu filho tem uma urostomia

Seu filho tem uma urostomia? Como mãe/pai, é importante entender as mudanças nas funções corporais do seu filho, para que você possa ajudá-lo a se adaptar após a cirurgia. Leia mais

Urostomia é um termo genérico que descreve um procedimento cirúrgico que desvia a urina de uma bexiga com algum problema para uma seção do intestino delgado do seu filho. Esta operação traz uma parte isolada do intestino para a superfície do abdome no lado direito, através de uma abertura criada cirurgicamente, chamada estomia. Os ureteres são, portanto, destacados da bexiga e recolocados na seção isolada do intestino, de modo que a urina é expelida do corpo através da estomia.

Como mãe/pai, você desempenha um papel importante em garantir que a estomia seja bem mantida para assegurar a cicatrização adequada. Os tópicos a seguir são importantes para fornecer o melhor cuidado ao seu filho.

Após a operação

É normal que a estomia do seu filho fique inchada após a cirurgia, mas ela diminuirá para um tamanho menor dentro de algumas semanas.

A estomia não possui terminações nervosas; portanto, não machuca quando é tocada, mas pode sangrar um pouco - saiba que isso é completamente natural. No entanto, se a urina estiver turva, com mau cheiro, com sangue ou se houver sangramento constante, entre em contato com seu médico imediatamente.

Cuidado com a irritação da pele

A pele ao redor da estomia é chamada de pele periestomal. Idealmente, essa área deve estar intacta sem irritação, erupções cutâneas ou vermelhidão; no entanto, alguma irritação pode ocorrer. Uma causa comum para a irritação nessa área ocorre quando a urina da urostomia entra em contato com pele, causando irritação pela exposição à umidade. A irritação pode ser minimizada com uma bolsa ajustada corretamente e mantendo a pele periestomal limpa. O enfermeiro de cuidados com a estomia, o enfermeiro pediátrico ou o médico do seu filho instruirão você sobre as melhores maneiras de aplicar a bolsa de estomia para proteger a área periestomal.

Fechar
Selecionando o dispositivo certo para seu filho

Selecionando o dispositivo certo para seu filho

Encontrar um ajuste seguro para seu filho pode parecer um grande desafio. Neste artigo, orientamos você sobre os tipos de produtos para estomia. Leia mais

As crianças têm diferentes formas corporais e, portanto, necessidades diferentes. Os sistemas de estomia estão, disponíveis em diferentes estilos e tamanhos, para oferecer ao seu filho a discrição ideal e a liberdade de se movimentar. Existem sistemas de estomia de uma ou duas peças, e o enfermeiro de cuidados com a estomia ou o enfermeiro pediátrico do seu filho podem ajudá-lo a encontrar o melhor para o seu filho.

O que se ajusta ao seu filho hoje pode não se ajustar amanhã. Assim como as crianças crescem e perdem roupas, elas também podem ultrapassar seu sistema de estomia. É importante que o sistema de estomia acompanhe o tamanho do estoma e o tamanho do corpo do seu filho, bem como a quantidade de fezes provenientes da estomia. Lembre-se de que, à medida que seu filho ganha peso e cresce, o tipo de sistema de estomia usado pode precisar ser alterado. Portanto, é uma boa ideia medir frequentemente o diâmetro da estomia para garantir o melhor ajuste.

Veja os principais tipos de produtos para crianças:

Sistema de duas peças

Um sistema de estomia de duas peças possui uma bolsa e uma base separadas que se conectam.

Base

Desenvolvida para se ajustar ao formato do corpo das crianças.

Sistema de peça única

Um sistema de estomia em que a bolsa e a base vêm como uma unidade.

Bolsa aberta

Uma bolsa com uma saída oculta integrada, que pode ser dobrada com segurança.

Bolsa de urostomia

Uma bolsa drenável, que funciona para urostomias ou fezes muito líquidas. Essa bolsa pode ser conectada a uma bolsa de drenagem durante a noite, para gerenciar grandes quantidades de efluentes.

Fechar
Trocando a bolsa do meu filho

Trocando a bolsa do meu filho

Como e quando você troca a bolsa de estomia do seu filho? Fornecemos as orientações necessárias passo a passo para que você possa criar uma rotina para a troca da bolsa de estomia do seu filho com confiança. Leia mais

Até você entrar na rotina, é natural sentir-se um pouco inseguro sobre quando e como trocar a bolsa do seu filho. Tenha certeza, esse processo fica mais fácil com o tempo e a prática.

O tempo de uso do produto de estomia do seu filho varia muito, pois depende do tamanho, do nível de atividade e da espessura das fezes - portanto, pode ser difícil estabelecer o momento certo para trocar a bolsa. Um bom momento para trocar geralmente é antes de uma refeição ou várias horas depois de comer, quando o estoma está drenando menos. No entanto, para encontrar a melhor rotina para o seu filho, consulte um enfermeiro ou pediatra sobre as necessidades específicas do seu filho.

Não espere o produto de estomia vazar. Se seu filho sentir queimação, coceira sob a base ou estiver mexendo nela, troque a bolsa imediatamente. Queimação e coceira podem indicar vazamento e possíveis danos à pele periestomal (irritação semelhante a assaduras).

Rotinas são importantes

É importante estabelecer rotinas previsíveis para a troca de produtos de estomia. Para obter uma boa rotina, planeje um horário regular para trocar os produtos de estomia. O melhor momento para trocar os produtos de estomia é quando o estoma está menos ativo (antes que seu filho coma ou beba pela manhã, por exemplo).

Como devo trocar os produtos de estomia?

Antes de começar a remover o sistema da bolsa do seu filho, pode ser uma boa ideia fazer alguns preparativos simples:

1. Reúna todos os suprimentos:

  • Bolsa e base (se estiver usando duas peças)
  • Gaze e água morna
  • Guia de medição de estomia, caneta e tesoura (clique aqui e veja um modelo de guia)
  • Saco plástico para lixo
  • Produtos adjuvantes (removedor de adesivos, creme barreira, entre outros utilizados)

O enfermeiro ou pediatra o ajudarão a decidir se itens adicionais serão necessários.

2. Retire a bolsa de maneira gentil e suave. Rasgar ou romper acidentalmente o adesivo pode ferir a pele periestomal e afetar a capacidade do próximo sistema de bolsa de aderir à pele do seu filho. É recomendável usar um removedor de adesivos.

3. Use o saco plástico para jogar fora a bolsa suja.

4. Limpe a estomia e a pele ao seu redor com um algodão ou gaze e água morna. Não se assuste se você vir um sangramento leve da ostomia - isso é normal e deve parar rapidamente. Você não precisa usar sabão, produtos de limpeza ou lenços umedecidos, pois isso pode causar problemas de pele e impedir a aderência da base. No entanto, se o fizer, certifique-se de usar um sabão sem óleo e sem resíduos. Sabonetes contendo hidratantes, óleos e desodorantes - assim como algumas marcas de lenços umedecidos contendo lanolina - deixarão uma película na pele que interfere na aderência da bolsa.

5. Verifique se há vermelhidão ou irritação na pele periestomal do seu filho. Sempre verifique também a estomia, para garantir que ela mantenha sua cor vermelha natural. Se você observar uma erupção cutânea, descoloração na estomia (muito escura, roxa ou preta) ou tiver outras preocupações, procure orientação médica.

6. Meça o diâmetro da estomia usando o guia de medição de estomia.

7. Demarque a medida na parte de trás da base.

8. Corte a abertura para corresponder ao padrão. Meça para caber no mesmo tamanho da estomia. Isso ajudará a impedir que as fezes encostem na pele do seu filho e causem irritação.

9. Garanta um contato direto entre a pele e a base, usando a mão para pressionar levemente a base por dois ou três minutos. Evite hidratantes ao redor da estomia, para melhor adesão.

10. Se a estomia se tornar ativa, faça uma pausa e continue. Limpe novamente a pele se ela ficar molhada ou suja.

11. Remova o suporte da base.

12. Aplique a nova base centralizando a abertura sobre a estomia. Pressione delicadamente no lugar.

13. Feche a saída da bolsa.

14. Lave as mãos.

Dicas

Considere perguntar ao seu filho se ele gostaria de colocar um nome em seu estoma. Muitas crianças o fazem, e isso pode ajudar seu filho a se adaptar à vida com uma estomia. Algumas crianças também têm uma boneca com estomia ou colocam uma bolsa de estomia em uma boneca ou brinquedo favorito.

Distraia seu filho ao trocar a bolsa. Usar um celular, um brinquedo com música ou um boneco para acalmar pode ser útil.

Pré-escola e idade escolar: à medida que seu filho cresce, ensine tarefas simples, como reunir suprimentos e aquecer a base. Isso incentivará a aceitação e aumentará o conforto e a segurança do dispositivo.

Fechar
Dieta e nutrição após a cirurgia de estomia

Dieta e nutrição após a cirurgia de estomia

Como você equilibra a dieta do seu filho após a cirurgia de estomia? Ajudamos você a entender como a digestão é afetada, para que você possa cuidar do seu filho da melhor maneira. Leia mais

O que meu filho pode comer após a cirurgia?

Após a cirurgia de estomia, é natural que você se preocupe com a forma como a digestão será afetada. Mas não há necessidade de mudar repentinamente o que seu filho deve comer ou beber, basta fazer escolhas sensatas e manter tudo com moderação. Com o tempo, você descobrirá que seu filho pequeno poderá comer os mesmos alimentos que antes da cirurgia, a menos que o médico ou nutricionista prescreva uma dieta especial.

Gases e odores

Certos alimentos produzem mais gases e odores do que outros e podem precisar ser evitados:

  • Feijões
  • Brócolis
  • Repolho
  • Pepino
  • Bebidas gaseificadas
  • Peixe
  • Queijo
  • Ovos

Os gases também podem ser causados pela ingestão de ar, o que pode acontecer quando seu filho chora, usa chupeta ou bebe com canudo.

Obstrução alimentar

Alguns alimentos são difíceis de digerir e, portanto, podem se acumular e obstruir o fluxo de fezes no intestino. Os líquidos podem facilitar a digestão saudável, ajudando os alimentos a passar pelo trato digestório. Além disso, pode ser uma boa ideia prestar atenção nos alimentos que podem causar obstrução:

  • Aipo
  • Aspargos
  • Frutas cítricas
  • Frutas secas
  • Pipoca
  • Frutas e vegetais crus
  • Nozes, sementes em frutas e vegetais
  • Embutidos (salsicha, frios)

Dicas para prevenir a obstrução:

  • Certifique-se de que seu filho mastigue bem os alimentos. Corte os alimentos em pedaços pequenos para crianças pequenas
  • Certifique-se de que seu filho beba bastante líquido para levar os alimentos pelo intestino
  • Evite alimentos que possam causar cólicas ou diarreia
  • Não alimente seu filho com alimentos ricos em fibras até que seja aprovado pelo médico
  • Adicione alimentos fibrosos um de cada vez

Sinais de obstrução:

  • Cólicas
  • Dor abdominal
  • Estomia e abdômen inchados
  • Fezes aquosas ou ausência de fezes

Se você sentir que seu filho está com obstrução, entre em contato com o enfermeiro ou o médico de cuidados com a estomia. Sempre confie em seu próprio julgamento ao decidir se seu filho precisa de atenção médica. Você é quem conhece seu filho melhor.

Desidratação

Manter-se hidratado é uma parte vital da recuperação. A desidratação é causada por perda excessiva de água. Uma criança pode ficar desidratada rapidamente por diarreia, sudorese ou vômito. Uma boa regra é fazer com que seu filho beba um copo de líquido cada vez que a bolsa for esvaziada. Se seus filhos não gostam muito de beber água pura, tente adicionar um pouco de sabor com uma fatia de fruta ou um pouco de suco, para garantir que eles fiquem hidratados. No entanto, você também deve incentivar muitos líquidos e alimentos que substituam o sódio e o potássio, como bebidas esportivas isotônicas, sopas e bolachas. Essas opções são uma boa maneira de substituir açúcares e minerais se o seu filho ficar desidratado. Tenha cuidado com bebidas altamente açucaradas, pois elas podem aumentar a chance de diarreia.

As crianças podem ficar desidratadas muito rapidamente, portanto, cuidado com os sintomas:

  • Lábios secos
  • Boca seca
  • Diminuição da urina
  • Choro sem lágrimas
  • Sonolência aumentada
  • Urina escura
  • Olhos fundos

Se o seu filho apresentar esses sintomas, leve a sério. Informe imediatamente o médico do seu filho ou vá ao hospital. Medicamentos para parar a diarreia não são recomendados.

Diarreia

A diarreia é a passagem frequente de fezes soltas e aquosas (mais do que o habitual). Isso pode levar à desidratação muito rapidamente. Infecções bacterianas ou virais, doenças, alimentos ou medicamentos podem causar diarreia. Se seu filho apresentar algum sintoma de desidratação, entre em contato com o médico.

Alimentos que engrossam as fezes:

  • Bananas
  • Arroz
  • Purê de maçã
  • Torrada

Constipação

A constipação acontece quando as fezes estão duras ou secas, há uma diminuição no número de fezes, ou seu filho tem dificuldade para evacuar. Inclua sucos de frutas, frutas em bagas e vegetais para manter as fezes macias. Notifique o médico do seu filho se a constipação continuar.

Fechar
Cuidados contínuos com seu filho

Cuidados contínuos com seu filho

É importante que seu filho comece a aproveitar a vida o mais rápido possível após a cirurgia de estomia. Ajudaremos você a cuidar continuamente da estomia de seu filho. Leia mais

Como nos adaptamos à vida após a cirurgia de estomia?

Além de aprender a entender a condição médica, você também precisa descobrir como cuidar continuamente do seu filho. A estomia do seu filho precisará de cuidados especiais diários e isso pode parecer desafiador a princípio - mas não se preocupe, isso logo se tornará parte de sua rotina diária e há muito apoio disponível. Você sempre pode consultar o médico ou o enfermeiro de cuidados com a estomia do seu filho, caso tenha algum problema ou dúvida. Também existem organizações para fornecer informações e suporte para você e seu filho. Peça ao enfermeiro de cuidados com a estomia ou ao enfermeiro pediátrico informações sobre grupos e comitês locais.

Abaixo, reunimos algumas diretrizes que podem ser úteis:

Medicação

Antes da alta hospitalar, certifique-se de entender os medicamentos que seu filho precisa tomar. Dê ao seu filho apenas a medicação prescrita pelo médico, incluindo vitaminas. É uma boa ideia levar sempre a lista de medicamentos prescritos ao visitar seu médico ou hospital. Se você notar pílulas nas fezes ou na bolsa do seu filho, notifique o médico.

Informe o seu farmacêutico que seu filho tem uma estomia - e não se esqueça de informar o tipo específico - colostomia, ileostomia ou urostomia. O medicamento do seu filho pode precisar estar em forma líquida ou para mastigar, para que possa ser absorvido.

Atividade

Como mãe/pai, você sabe que os filhos estão em movimento a maior parte do tempo. Muitos pais e mães se perguntam se as atividades serão limitadas quando o filho tiver uma estomia – e, felizmente, a estomia não os impedirá de se movimentar. Seu filho deve poder participar de todas as atividades, desde que a estomia esteja protegida de lesões. Siga as recomendações do seu médico para o seu filho.

Treinamento do banheiro

Se seu filho estiver pronto para se sentar no vaso sanitário, você pode ensiná-lo a esvaziar a bolsa no vaso sanitário ao se preparar para o treinamento do banheiro. Um penico o ajudará a ficar confortável. Frases como "hora do penico" podem ser usadas na hora de esvaziar ou trocar a bolsa.

Tomando banho

Tomar banho não machucará a estomia. Portanto, seu filho pode tomar banho com a bolsa ou sem ela - mas não se surpreenda se a estomia funcionar na hora do banho. Escolha um sabão sem óleo nem resíduos. Sabonetes contendo hidratantes, óleos e desodorantes - assim como algumas marcas de lenços umedecidos contendo lanolina – podem deixar uma apresentação na pele que interfere na aderência da base.

Roupas

Seu filho não precisará de roupas especiais por causa da estomia. As bolsas são feitas de um material leve para um melhor ajuste e têm um design discreto, para garantir que não possam ser vistas sob a roupa.

Quando você escolher roupas para o seu filho, pode ser uma boa ideia evitar roupas nas quais a cintura esfregue contra o estoma ou seja tão apertada que impeça a bolsa de encher. Portanto, roupas de uma peça geralmente funcionam melhor. Algumas roupas de duas peças podem deslizar para baixo e puxar a bolsa. No entanto, uma roupa de duas peças pode facilitar o esvaziamento da bolsa.

Quando seu filho se tornar mais ativo, o aumento da atividade pode causar mais pressão na vedação da bolsa. Para segurar a bolsa com mais segurança perto do corpo e desencorajar os dedos curiosos do seu filho, você pode usar macacões ou bodies. Se seu filho for pequeno, convém colocar a bolsa sob as roupas de baixo para mantê-la no lugar.

Uma boa dica: esvazie a bolsa quando estiver com um terço cheio, pois ela é menos perceptível.

Dicas

  • Bebês: os bebês são muito ativos e curiosos. A estomia do seu filho atrasará seu desenvolvimento. À medida que a curiosidade e a atividade do seu bebê aumentam, ele/ela pode retirar a bolsa ou prendê-la sob um joelho ao engatinhar. Isso pode colocar pressão adicional na vedação da bolsa, portanto, tenha cuidado.
  • Pré-escola: as crianças são muito curiosas e gostam de explorar seu corpo. Elas também podem retirar sua bolsa.
Fechar

Mais informações

suportePrecisa de ajuda?

Fale conosco! Aqui estão nossas informações de contato: ativa@coloplast.com | 0800 285 8687

sample ocConheça nossos produtos

Veja nossa linha para estomia. CLIQUE AQUI.

Este site inclui diretrizes gerais. Siga sempre as instruções de seu médico.

Redes Sociais

Facebook       instagram icon
Visualizar Versão para Desktop