Como a bexiga funciona?

A bexiga desempenha um papel importante em nossa vida cotidiana e pode ser útil saber um pouco sobre como ela funciona - especialmente quando ela não funciona. A bexiga é um desses órgãos do corpo que é fácil de ignorar - a menos que você realmente precise ir ao banheiro! No entanto, quando há perdas ou você não consegue esvaziar a bexiga, esse pequeno órgão torna-se quase impossível de ignorar. Leia mais

A bexiga e o sistema urinário

Quando a bexiga e seus sistemas e funções de apoio trabalham juntos como deveriam, você sente vontade de ir ao banheiro quando a bexiga está quase pela metade. Expelir a urina seria então uma atividade controlada e voluntária.

A bexiga faz parte do trato urinário. O trato superior é composto pelos dois rins, que ficam na região lombar e são presos à bexiga por tubos estreitos chamados ureteres. A urina é produzida nos rins e flui dos rins para a bexiga através dos ureteres.

A bexiga está posicionada no trato inferior, juntamente com os esfíncteres uretrais (músculos de fechamento) e a uretra (o tubo que leva a urina da bexiga até a abertura externa). A bexiga armazena urina até que a uretra a transporte para fora do corpo. Esse fluxo, da bexiga para a uretra, é controlado pelos esfíncteres uretrais, que abrem e fecham a saída da bexiga. Os esfíncteres são sustentados pelo assoalho pélvico, que sustenta os órgãos posicionados na parte inferior do corpo - quase como uma tipoia.

A bexiga e o cérebro

A atividade da bexiga é regulada pelo cérebro e por nosso sistema nervoso. A bexiga é um músculo semelhante a um balão, que pode se esticar e expandir à medida que se enche de urina. A rede de músculos da bexiga possui receptores de estiramento, que respondem quando a bexiga começa a se encher de urina. Todos os receptores de estiramento estão conectados aos nervos, que enviam os sinais através da coluna para o cérebro quando é hora de fazer xixi. Se for conveniente para a pessoa, o cérebro envia a mensagem de volta, dizendo que ela pode liberar a urina.

Quando uma pessoa normalmente sente vontade de urinar, a primeira reação é apertar os músculos do esfíncter, levantando o assoalho pélvico, a fim de reter a urina dentro do corpo até que seja conveniente fazer xixi.

Uma pessoa urina de 4 a 8 vezes por dia, e é importante que a bexiga seja completamente esvaziada regularmente, pois mesmo uma pequena quantidade de urina restante na bexiga pode causar infecções do trato urinário.

Fechar

Informações iniciais

O que é a urina?

O que é a urina?

A urina é um resíduo produzido pelos rins no processo de limpeza do sangue e é composta de água e resíduos dissolvidos. Leia mais
Os resíduos são substâncias que o corpo não precisa e que podem ser prejudiciais aos nossos órgãos, se acumulados no corpo.Os rins estão constantemente produzindo urina, que é enviada para a bexiga. Se a bexiga ou os rins falharem, a urina se acumula na bexiga e existe o risco da urina não descer para a uretra para ser expelida do corpo, e, em vez disso, voltar para os rins. Portanto, é crucial que os problemas da bexiga e dos rins sejam tratados, para que a urina seja expelida do corpo regularmente.
Alguns fatos:
  • Os rins produzem urina a uma taxa de cerca de 30 ml por hora
  • A maioria das pessoas sente vontade de urinar quando há cerca de 200 ml de urina na bexiga
  • Uma bexiga normal tem capacidade para cerca de 300 a 400 ml de urina
  • Uma pessoa produz, em média, 1,5 l de urina por dia – mas, quanto mais uma pessoa ingerir líquidos, mais urina será produzida
  • A maioria das pessoas faz xixi de 4 a 6 vezes ao dia
Fechar
O que é cateterismo?

O que é cateterismo?

Cateterismo Intermitente (CI) ou Autocateterismo Intermitente Limpo é a inserção regular de um tubo oco (cateter) na bexiga, para esvaziá-la da urina. Leia mais

O cateter é inserido na bexiga através da uretra (o canal que leva a urina da bexiga para a abertura externa). O CI é simples de executar e depois de um pouco de prática pode ser feito em apenas alguns minutos.
A ponta do cateter é arredondada com orifícios nos dois lados, permitindo que a urina entre no tubo e drene para fora da bexiga.

Fechar
O que é um cateter?

O que é um cateter?

Um cateter é um tubo de plástico com ilhós (orifícios de drenagem), usado para drenar a urina da bexiga. Os cateteres podem ser permanentes (cateteres de demora) e intermitentes. Leia mais

Como saber qual usar?

O cateter intermitente - que é considerado um método bastante recomendado - é inserido em intervalos regulares e removido imediatamente após a bexiga ter sido completamente esvaziada.Os cateteres devem ser lubrificados, para minimizar o atrito entre o cateter e o tecido na uretra. Você pode obter cateteres que vêm com um gel ou um tratamento de superfície especial, que é ativado com água (revestimento hidrofílico). Os cateteres mais avançados já estão imersos em água e podem ser usados ​​diretamente da embalagem.

Qual o comprimento a escolher?

Em geral, seu cateter precisa ser um pouco mais longo que a uretra, que tem de 15 a 20 cm nos homens e de 3 a 4 cm nas mulheres. Isso ocorre porque os orifícios do cateter não são colocados na ponta. Também há tamanhos padrão e compactos. Homens com próstata aumentada podem se beneficiar de uma versão com ponta ligeiramente curvada.

Como encontrar o cateter de tamanho certo (calibre)?

É importante selecionar o tamanho certo para realizar a drenagem ideal da bexiga. A maioria dos adultos começa com um tamanho de cateter de 12 a 14 Ch (1 Ch = 0,33 mm de diâmetro). O seu médico ou enfermeiro pode ajudá-lo a decidir sobre qual é o mais adequado para você.

O tubo

Os cateteres são feitos de materiais diferentes, e alguns deles incluem:

  • PVC, que é bastante comum em dispositivos médicos. Contém amaciadores (ftalatos), que podem ser potencialmente prejudiciais ao corpo e ao meio ambiente
  • Silicone, que é um material muito flexível por natureza e não precisa de amaciadores de plástico
  • O PU (poliuretano) está se tornando cada vez mais popular por ser firme e flexível, e não contém amaciadores de plástico

Um cateter um pouco mais firme pode ser mais fácil de inserir, o que é especialmente relevante se a destreza de sua mão for limitada. Ao escolher um cateter, assegure-se com seu médico ou enfermeiro de que o material usado não compromete sua saúde (sem PVC e ftalatos) e é conveniente para você usar.

Os ilhoses (orifícios de drenagem)

O cateter normalmente possui 2 orifícios, perfurados na extremidade do tubo. Quando o cateter chega à bexiga, a urina sai por esses orifícios e a bexiga é esvaziada. Para minimizar o risco de danos à uretra, procure orifícios polidos e revestidos.

Conector/alça do cateter

O conector no final do cateter permite a conexão a uma bolsa de urina, caso você não consiga dispensa-la no banheiro.

Fechar

Sintomas e causas

Não consegue esvaziar sua bexiga?

Não consegue esvaziar sua bexiga?

A urina que fica muito tempo na bexiga pode eventualmente levar à insuficiência renal. Certifique-se de reconhecer os sintomas de retenção urinária. Leia mais

Se você tiver retenção urinária, poderá apresentar um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Não conseguir urinar
  • Desconforto
  • Sensação urgente de urinar, mas fluxo fraco
  • Gotejamento devido à incontinência por transbordamento
  • Abdome inferior inchado

Por que isso acontece?

A retenção urinária pode ser causada por uma obstrução no trato urinário, uma fraqueza do músculo da bexiga ou por danos no sistema nervoso causados, ​​por exemplo, por esclerose múltipla, lesão medular ou espinha bífida (condições neurogênicas).

Pessoas com danos nos nervos podem sentir que seus músculos da bexiga não recebem a mensagem de que é hora de liberar a urina ou os músculos estão fracos demais para esvaziar completamente a bexiga.

A urina que fica muito tempo na bexiga pode levar a uma infecção e a urina pode voltar, causando pressão e danos aos rins.

A retenção urinária também pode levar à incontinência por transbordamento.

Consulte o seu médico se apresentar um dos sintomas de retenção urinária.

Fechar
Não consegue segurar?

Não consegue segurar?

Vazamento ou incapacidade de segurar a urina é muito comum. Veja se você reconhece alguns dos sintomas. Leia mais

Se você tiver incontinência urinária, poderá apresentar um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Pequenas ou grandes quantidades de urina vazando sem aviso ou sem sentir vontade de ir ao banheiro
  • Vazamento involuntário ao espirrar, tossir, rir ou se exercitar
  • Uma vontade repentina de correr para o banheiro para urinar
  • A necessidade de levantar para urinar duas ou mais vezes por noite (noctúria)

Você está enfrentando algum desses problemas? Então você pode estar sofrendo de uma das seguintes condições:

Incontinência de esforço

Ocorre quando os músculos do assoalho pélvico, sob aumento repentino de pressão (estresse), são muito fracos para manter os esfíncteres uretrais fechados. Isso resulta em um vazamento involuntário de urina durante as atividades diárias, como espirrar, tossir, rir ou se exercitar.

Incontinência de urgência

Uma bexiga instável ou hiperativa é causada por contrações involuntárias e descontroladas do músculo da bexiga. Isso resulta em vontade repentina de ir ao banheiro e, às vezes, até em vazamentos involuntários de urina antes de chegar ao banheiro.

Incontinência mista

Uma combinação de incontinência urinária de esforço e incontinência urinária de urgência.

Incontinência por transbordamento

Um gotejamento frequente ou constante de urina resultante da incapacidade de esvaziar a bexiga. Isso ocorre em pessoas com bexiga danificada, uretra bloqueada ou danos no sistema nervoso. Com a incontinência por transbordamento, você pode sentir como se nunca esvaziasse completamente a bexiga. Ao tentar urinar, você pode produzir apenas um fluxo fraco de urina.

 

Fechar
Quando o sistema perde o controle

Quando o sistema perde o controle

Danos no sistema nervoso podem ter um sério impacto na função da bexiga. Uma bexiga que perdeu a função devido a danos ao seu suprimento nervoso é chamada de “bexiga neurogênica”. Leia mais

A bexiga neurogênica pode ocorrer como consequência de:

  • Lesão medular
  • Esclerose múltipla
  • Espinha bífida
  • Diabetes tipo 2
  • Acidente vascular cerebral
  • Doença de Parkinson
  • Tumores cerebrais

Embora o dano no nervo não influencie na forma como os rins produzem urina, uma das principais consequências pode ser deficiência na capacidade de armazenamento da bexiga e a coordenação entre a contração da bexiga e o relaxamento do esfíncter.

Existem duas categorias principais de disfunção associadas à bexiga neurogênica. São elas:

Bexiga hiperativa (reflexa)

Quando os músculos se contraem espontaneamente quando a bexiga começa a encher, causando incontinência (isto é, esvaziamento acidental), porque a pessoa não sabe quando o esvaziamento ocorrerá.

Bexiga hipoativa (flácida)

Quando a bexiga não consegue liberar a urina, porque tende a perder força muscular e não consegue se contrair adequadamente para esvaziar. Sem um gerenciamento apropriado, uma bexiga flácida corre o risco de esticar demais e ficar danificada ou infectada, porque a pessoa pode não conseguir sentir quando a bexiga está cheia. Portanto, as bactérias não serão removidas através da micção e podem se espalhar para a bexiga.

Algumas pessoas podem ter danos nos nervos, a "bexiga mista". Isto significa que a bexiga pode agir como uma bexiga flácida ou reflexa e, portanto, pode ter sintomas mais variados e imprevisíveis.

Os sintomas de uma bexiga neurogênica devem ser gerenciados adequadamente. Se a bexiga perdeu sua capacidade inerente de esvaziar, o método mais adequado de esvaziamento é o cateterismo intermitente.

Fechar
Por que a medula espinhal é importante?

Por que a medula espinhal é importante?

A medula espinhal controla várias partes do corpo e desempenha um papel importante quando se trata do controle da bexiga. Leia mais

A medula espinhal forma um elo vital entre o cérebro e o resto do corpo, e faz parte do sistema nervoso central. Juntamente com o cérebro, ela controla as funções corporais, incluindo movimento e comportamento.

A medula espinhal é protegida pelos ossos da coluna vertebral e é amortecida por um líquido claro chamado líquido cefalorraquidiano. Os nervos entram e saem da medula espinhal em diferentes pontos para controlar as várias partes do corpo, incluindo a bexiga.

Os receptores de estiramento da bexiga estão conectados aos nervos, que enviam os sinais para o cérebro de que é hora de urinar. Se for conveniente para a pessoa, o cérebro envia a mensagem de que não há problema em liberar a urina.

Se a medula espinhal estiver danificada, esse sistema de mensagens não funcionará, resultando em problemas na bexiga.

Fechar
Lesões na medula espinhal e problemas na bexiga

Lesões na medula espinhal e problemas na bexiga

Quando você tem uma lesão medular, os nervos que controlam a bexiga muito provavelmente estão danificados. Saiba mais sobre lesão medular. Leia mais

O que é lesão medular?

Lesão medular é o termo genérico usado para descrever danos à medula espinhal. Normalmente, a lesão é causada por ossos quebrados no pescoço ou nas costas, pressionando a medula espinhal. A maioria das lesões medulares causa algum grau de incapacidade permanente ou perda de sensibilidade em partes do corpo abaixo do local da lesão.

O que causa lesão medular?

Lesões medulares geralmente resultam de algum tipo de trauma, mais comumente acidentes de carro, quedas, violência ou lesões esportivas. No entanto, também pode resultar da infecção da medula espinhal e de algumas condições médicas.

Por que uma lesão medular causa problemas na bexiga?

A bexiga, que armazena urina, é controlada pelo sistema nervoso. Quando você tem uma lesão na medula espinhal, é provável que os nervos que controlam sua bexiga estejam danificados. Como resultado, a bexiga pode ficar hipo ou hiperativa.

Fechar
Esclerose múltipla e problemas na bexiga

Esclerose múltipla e problemas na bexiga

A esclerose múltipla é uma doença inflamatória, que afeta uma série de funções corporais. Saiba como a EM pode causar problemas na bexiga. Leia mais

O que é esclerose múltipla?

A esclerose múltipla é uma doença inflamatória que interfere nas células nervosas no cérebro e na medula espinhal. O termo "esclerose", na verdade, significa cicatrizes e "múltipla" refere-se ao fato de que as cicatrizes podem ocorrer em muitos locais diferentes no cérebro e na medula espinhal. Em pessoas com esclerose múltipla, as mensagens do cérebro transportadas pelos nervos são interrompidas e podem interferir em uma ampla gama de funções corporais.

Quais são os sintomas?

Alguns dos sintomas mais comuns da esclerose múltipla são:

  • Problemas de visão
  • Fadiga
  • Problemas cognitivos e/ou de memória
  • Problemas na bexiga e no intestino
  • Limitações físicas, como distúrbios do equilíbrio e falta de força muscular

Cada pessoa é afetada de maneira diferente, dependendo de quanto e onde os nervos foram danificados.

Por que a esclerose múltipla causa problemas na bexiga?

A bexiga, que armazena urina, é controlada pelo sistema nervoso. Como a esclerose múltipla danifica os nervos, a função da bexiga pode ser afetada. Algumas pessoas acham que precisam urinar com mais frequência ou urgência, enquanto outras apresentam dificuldade em esvaziar a bexiga. Algumas pessoas com esclerose múltipla podem apresentar incontinência urinária ocasional.

Fechar
Espinha bífida e problemas na bexiga

Espinha bífida e problemas na bexiga

Saiba por que as pessoas com espinha bífida (EB) têm dificuldades em controlar a bexiga. Leia mais

O que é espinha bífida (EB)?

Espinha bífida significa "espinha dividida". Pessoas com espinha bífida nasceram com a coluna vertebral e com o sistema nervoso central sem desenvolvimento adequado. A razão pela qual isso acontece permanece incerta. A gravidade da EB varia - em casos graves, parte do tecido da medula espinhal penetra na pele, deixando-a exposta fora do corpo.

Por que a EB causa problemas na bexiga?

Como a bexiga e o intestino são controlados pelos nervos na parte inferior da medula espinhal, uma medula espinhal danificada levará à disfunção na bexiga e/ou no intestino em diferentes graus, dependendo da gravidade do dano no nervo. A maioria das pessoas com espinha bífida apresentará uma disfunção conhecida como bexiga neurogênica, o que significa que elas têm dificuldades em controlar sua bexiga. Uma bexiga neurogênica pode levar à bexiga hiperativa (reflexa) e bexiga hipoativa (flácida), e é por isso que pessoas com espinha bífida precisam de ajuda para gerenciar sua bexiga.

Fechar
Quando consultar seu médico

Quando consultar seu médico

É hora de consultar seu médico se você apresentar qualquer dos sintomas listados aqui. Leia mais

Quando consultar seu médico

Você deve marcar uma consulta com seu médico se apresentar um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Sinto que não consigo esvaziar completamente minha bexiga
  • Eu preciso sair da cama à noite para urinar
  • Vaza urina durante o sono
  • A urina sai em um fluxo fraco
  • Sofro de infecções do trato urinário com frequência
  • Preciso urinar com mais frequência do que costumava
  • Sinto vontade de urinar até mesmo pequenas quantidades de urina
  • Sinto vontade de urinar até mesmo pequenas quantidades de urina e às vezes não consigo chegar ao banheiro
  • Escapa urina quando estou fisicamente ativo, dou risada ou espirro

Esses sintomas podem ser causados ​​por muitas diferentes condições médicas e podem ser tratados adequadamente.

Os problemas da bexiga podem - se você não consegue esvaziar a bexiga ou reter a urina na bexiga (vazamentos) - ter um impacto significativo na sua saúde e qualidade de vida.

Esses problemas não são algo com que “você só precisa se acostumar”. As pessoas que apresentam problemas na bexiga costumam hesitar em fazer algo a respeito, porque acham constrangedor falar sobre isso ou simplesmente consideram como um sinal de envelhecimento.

Mais de 20% das pessoas com mais de 40 anos apresentam algum tipo de distúrbio urinário.

Fechar
HTLV: o que é?

HTLV: o que é?

O vírus HTLV, o T-Linfotrópico Humano, é uma doença grave que pode atacar o sistema neurológico, paralisar os membros inferiores e o funcionamento da bexiga e até mesmo levar o portador a desenvolver leucemia. Leia mais

Este vírus é da mesma família do HIV (o vírus da AIDS) e infecta células de defesa importantes do organismo, principalmente os linfócitos T. O HTLV foi descoberto nos anos 1980 e, desde então, desafia a ciência. Ainda não possui cura e é desconhecido por grande parte da população brasileira.

A transmissão do vírus se dá através do compartilhamento de seringas e agulhas por usuários de drogas, de mãe infectada para filho, tanto na hora do parto quanto na amamentação (transmissão vertical), e de relações sexuais desprotegidas com pessoas infectadas (o que torna o HTLV uma DST – Doença Sexualmente Transmissível).

Conheça os tipos de HTLV e seus sintomas

Existem dois tipos de HTLV: o Tipo 1 e o Tipo 2.

O tipo 1 pode causar doenças hematológicas, como leucemia, e uma grave doença neurológia, denominada paraparesia espástica tropical, que pode prejudicar o movimento dos membros inferiores e o controle da bexiga.

Já o HTLV Tipo 2 ainda não possui uma associação direta com alguma doença em específico.

Entretanto, de acordo com o site do Ministério da Saúde, apenas 10% das pessoas infectadas pelo HTLV desenvolvem problemas relacionados ao vírus. As demais não apresentam qualquer sintoma.

Os sinais mais comuns de manifestação do vírus que apontam uma doença neurológica são: fraqueza, dores na lombar, nos pés e na batata da perna, formigamento nos membros inferiores e dificuldades para urinar ou defecar.

Quando a infecção do vírus resulta em doenças hematológicas, os sintomas costumam ser: lesões na pele, descamação, coceira, aumento dos gânglios da virilha (ínguas), do pescoço e das axilas e pneumonias de repetição.

Diagnóstico e prevenção do HTLV

Para que a infecção pelo HTLV seja detectada é necessário realizar um exame sorológico específico para pesquisa de anticorpos anti-HTLV-I/II no sangue.  A confirmação da presença do vírus é obtida por meio dos exames ELISA (do inglês Enzyme-Linked Immunosorbent Assay, ou Ensaio de Imunoabsorção Enzimática) e Western Blot, que são específicos para esse vírus.

Como o risco de desenvolver uma doença devido a infecção pelo HTLV-I é muito baixo, não foram descobertos medicamentos ou outro tipo de intervenção para conter o vírus, assim a doença ainda não tem cura. Portanto, a forma mais indicada de evitar a infecção é por meio da prevenção.

Sendo assim, as orientações são: pratique o sexo seguro fazendo uso de preservativos, não compartilhe seringas e agulhas e verifique com seu médico a possibilidade de realizar os exames específicos caso esteja grávida ou queira engravidar.

No caso das gestantes, quando o exame para a existência do HTLV for positivo, não é recomendado amamentar o bebê. As opções são recorrer aos bancos de leite ou às formulações lácteas.

HTLV e cateterismo intermitente limpo

Quando o portador do T-Linfotrópico Humano tipo 1 desenvolve a paraparesia espástica tropical, o funcionamento da bexiga pode ficar comprometido, uma vez que o cérebro deixa de receber adequadamente a informação de que é hora de urinar, pois a medula espinhal é comprometida pelo vírus em nível torácico.

Desse modo, a pessoa passa a apresentar um quadro de bexiga neurogênica e deve realizar o cateterismo intermitente limpo para o esvaziamento completo e seguro da bexiga, evitando assim a presença de urina residual que tem como principal consequência a infecção urinária.

Este procedimento é feito com a ajuda de um cateter com revestimento hidrofílico instantaneamente pronto para uso. Ele é descartável e já vem lubrificado, dispensando a necessidade de aplicação de lubrificante, também possui uma parte destinada ao manuseio, evitando o contato direto das mãos com a área lubrificada do material que será introduzido na uretra, além de sua embalagem ser de fácil manuseio e intuitiva.

A quantidade de vezes que o cateterismo intermitente limpo deve ser realizado no dia vai depender da orientação médica e lembre-se de seguir a risca!

A técnica é segura e aumenta a qualidade de vida do paciente com alterações neurológicas. Se você sofre de alguma disfunção vesical, seja ela neurológica ou não, converse com o seu médico sobre a técnica do cateterismo intermitente limpo.

Fechar

Por que cateterismo intermitente?

Por que garantir o esvaziamento da bexiga?

Por que garantir o esvaziamento da bexiga?

Por que garantir uma bexiga vazia? Saiba o que acontece se você não esvaziar sua bexiga. Leia mais

É importante que você esvazie a bexiga de 4 a 6 vezes por dia (ou conforme recomendado por seu médico ou enfermeiro), e se certifique de que a bexiga está completamente vazia a cada vez.Por que? Se você não esvaziar a bexiga com frequência suficiente, a urina pode envelhecer. As bactérias na urina se multiplicarão, o que pode levar a uma infecção da bexiga ou do trato urinário.Deixar a bexiga ficar muito cheia pode esticar demais a parede da bexiga, tornando-a fraca ou incapaz de reter a urina. Isso aumentará a pressão na bexiga, com o risco de a urina voltar aos rins. O refluxo da urina pode levar a uma infecção ou a danos a longo prazo nos rins. O aumento da pressão na bexiga também pode levar ao transbordamento, com vazamentos de urina (incontinência).

Fechar
Mantenha sua bexiga saudável

Mantenha sua bexiga saudável

O cateterismo intermitente (CI) é considerado o método preferido para esvaziar a bexiga. Leia mais

É importante que você esvazie a bexiga regularmente, conforme prescrito pelo seu médico ou enfermeiro. Se você não conseguir esvaziar a bexiga naturalmente, o cateterismo intermitente é considerado o padrão de excelência.

Outros métodos de esvaziamento da bexiga incluem:

  • Pressionar manualmente a bexiga (manobra de Credé)
  • Inserir um cateter mais permanente na uretra (cateteres de demora)
  • Inserir um cateter na barriga (cateteres suprapúbicos)

 

Por que médicos - e profissionais da Coloplast - recomendam o CI como superior a essas opções?

Uma explicação é que a maioria das pessoas que utiliza cateterismo intermitente o considera mais confortável e conveniente do que os cateteres de demora. E quando você encontra um método que você considera bom e o domina, é mais fácil manter o cronograma e esvaziar a bexiga conforme prescrito.

Pesquisas sugerem que os cateteres que possuem um revestimento especial suave e de baixa fricção (revestimento hidrofílico) são mais confortáveis, convenientes e fáceis de usar. Eles também foram associados a taxas mais baixas de infecção e danos na uretra quando comparados a outros cateteres. Outros benefícios incluem proporcionar maior independência e uma melhor qualidade de vida geral.

 

Fechar
Dicas para o cateterismo intermitente

Dicas para o cateterismo intermitente

Privacidade, limpeza e instalações adequadas são essenciais para se sentir confiante ao fazer um cateterismo intermitente dentro e fora de sua casa. Leia mais

Onde posso fazer o CI?

Um local adequado para a realização de cateterismo intermitente é um lugar onde você se sente confortável, como a sua casa. Pode ser útil mapear sua vizinhança e outros lugares onde você costuma ir, a fim de planejar onde é possível realizar o cateterismo intermitente confortavelmente. Há três coisas que determinam se um local é adequado para a realização de cateterismo intermitente:

Privacidade

Ter privacidade ao fazer um cateterismo intermitente é realmente importante. Descubra onde estão os banheiros que oferecem a privacidade de que você precisa. E planeje seu dia para que você possa visitá-los conforme necessário.

Limpeza

Quando o CI é realizado, sempre há um risco de infecção, mas suas próprias bactérias raramente são a principal razão para a infecção do trato urinário - o risco realmente aumenta quando outras pessoas, como seu enfermeiro ou auxiliar, fazem isso em você.

Qualquer que seja o local ou circunstância, não se esqueça de lavar as mãos imediatamente antes de tocar no cateter. Se você precisar tocar em qualquer coisa (aros de cadeira de rodas, muletas, maçaneta da porta do banheiro) depois de lavar as mãos, use gel desinfetante para as mãos ou um pano antisséptico antes de tocar no cateter.

Se você sofre frequentemente de infecções do trato urinário (ITU), pode estar preocupado em fazer um cateterismo fora de sua casa. No entanto, é importante que você esvazie sua bexiga regularmente, pois a urina deixada na bexiga é um dos principais motivos para adquirir ITUs. Portanto, quando você está fora de casa, não é uma boa ideia pular o cateterismo - mesmo que seja difícil encontrar um banheiro limpo.

Instalações

O layout de um banheiro também afeta a facilidade de uso. Quanto espaço você tem, se a pia é colocada separadamente do banheiro ou - se você estiver em uma cadeira de rodas - se há uma rampa (e quão íngreme é) ou qual é a largura da porta são pontos importantes a se analisar.

Fechar
Encontre o produto certo

Encontre o produto certo

Discreto e imediatamente pronto para qualquer atividade Leia mais

Com um cateter SpeediCath® Compact, não há desculpas para ficar em casa. Eles estão disponíveis em duas versões: uma para fazer cateterismo intermitente diretamente no banheiro, e outra com uma bolsa de urina pré-instalada, para que você não precise se preocupar com a localização ou o acesso aos banheiros. Ambos os cateteres são muito discretos.

Benefícios:

  • São pequenos - cabem no bolso de qualquer roupa
  • Se você ficar fora por muito tempo, poderá levar quantos precisar, porque eles são compactos
  • Prontos para usar instantaneamente, leva apenas alguns minutos para desembalar e introduzir
  • São pré-lubrificados e estéreis (com revestimento hidrofílico e em uma solução salina), para que você possa levar para muitos lugares sem se preocupar com a necessidade de lubrificação
  • O cateter é colocado dentro de uma caixa hermética e resistente
Fechar

Mais informações

suportePrecisa de ajuda?

Fale conosco! Aqui estão nossos contatos: ativa@coloplast.com | 0800 285 8687

amostra gratisConheça nossos produtos

Veja nossa linha para continência. Você poderá pedir uma amostra grátis para conhecer. CLIQUE AQUI.

compre onlineCompre no site

Acesse nossa loja oficial e compre seus produtos com rapidez e conveniência. CLIQUE AQUI.

Redes Sociais

Facebook       instagram icon
Este site inclui diretrizes gerais. Siga sempre as instruções de seu médico.
Visualizar Versão para Desktop