Alterar País
Global
 

Exsudato em Feridas 

Tip Print Share

Exsudato em feridas

Se uma ferida produz uma grande quantidade de líquido (exsudação)1, o processo de cicatrização pode ser retardado. Aumento dos níveis de exsudato pode ser um sintoma de infecção e aumento do edema. E quanto maior o volume de exsudato, maior o risco de maceração da pele periferida2 – e vazamento de exsudato. 

Vazamento de exsudato não é apenas clinicamente desafiador para o tratamento - este problema também impede que alguns pacientes participem em atividades sociais, ou de sair completamente. 

Problemas frequentemente associados com feridas exsudativas são [1-2]: 

  • um impacto negativo sobre a qualidade de vida do paciente
  • tratamento muito demorado
  • complicações como infecção, dor e maceração que atrasam o processo de cicatrização

A composição e a quantidade de exsudato1 variam dependendo da fase do processo de cicatrização. Na fase inflamatória da cicatrização, os níveis de exsudato são geralmente elevados, o que pode ser um sinal de infecção

Ao contrário de exsudação aguda na ferida, a exsudação crônica contém enzimas (proteases) que quebram as proteínas e as células recém-formadas. Para quebrar o ciclo vicioso em uma ferida não-cicatrizada, o exsudato deve ser retirado da ferida com um curativo absorvente. 

Controlando o exsudato da ferida
Controle de exsudato, remoção de tecido insalubre pelo desbridamento e gerenciamento da carga bacteriana são todos parte de uma boa preparação do leito de feridas. Um bom curativo mantém a ferida úmida e retira o exsudato, absorvendo-o para evitar a maceração.

Referências:

1. Jørgensen et al. The silver-releasing foam dressing, Contreet Foam, promotes faster healing of critically colonised venous leg ulcers: A randomised, controlled trial. International Wound Journal. 2005;2(1):64-73
2. Flanagan. Barriers to the implementation of best practice in wound care. Wounds UK. 2005;1(3):74-82
3.Thomas et al. An in-vitro comparison of the physical characteristics of hydrocolloids, hydrogels, foams and alginate/CMC fibrous dressings. www.dressings.org, 2005
4. Severin & Kristensen. New test method for measuring absorption in foams. Poster presented at joint Scientific meeting of ETRS, EWMA and DGfW, 2005
5. Münter et al. Effect of a sustained silverreleasing dressing on ulcers with delayed healing: the CONTOP study. Journal of Wound Care. 2006;15(5):199-206
6. Andersen et al. A randomized, controlled study to compare the effectiveness of two foam dressings in the management of lower leg ulcer. Ostomy/Wound Management. 2002;48(8): 34-41
7. Lohmann et al. Safety and performance of a new non-adhesive foam dressing for the treatment of diabetic foot ulcers. Journal of Wound Care. 2004;13(3):118-120

Saiba mais:
Encontre evidências clínicas publicadas sobre os curativos Coloplast.


Notas: 
1: exsudato da ferida é um líquido composto por plasma, glóbulos e plaquetas. A maior parte do exsudato da ferida é filtrada do sangue e / ou sistema linfático para a área da ferida, mas os glóbulos vermelhos e plaquetas vazam de capilares feridos. Viscosidade varia de líquido plasmático ralo e claro a secreção amarela espessa contendo altas concentrações de glóbulos brancos e bactérias 

2: A maceração é um amolecimento ou rompimento da pele causada pelo contato constante com umidade excessiva. Tecido macerado é esbranquiçado e maceração pode causar o crescimento de uma úlcera ou criar úlceras-satélite

 

 

Contate-nos

Você pode entrar em contato conosco preenchendo o formulário abaixo ou por nosso SAC.

Seu nome* Email*
Escreva sua mensagem aqui*
Limite de 500 palavras...
SAC - Serviço de Atendimento ao Cliente
0800 285 86 87

Contate-nos
0800 285 86 87